“O Maranhão é base para os negócios do Grupo Mateus”

Compartilhar

O empresário Ilson Mateus mantém um visão não de crise, mas de buscar oportunidades para crescer. Foto: Divulgação

O Grupo Mateus completou 31 anos (31 de agosto), comemorado com promoções aos consumidores.  Ainda que nesse momento delicado da economia, o empresário Ilson Mateus mantém um visão não de crise, mas de buscar oportunidades para crescer. O resultado, são novos investimentos e geração de mais empregos para as regiões onde atua, especialmente no Maranhão. 

Como essa história de sucesso começou, se desenvolveu e chegou a esse patamar de 31 anos com uma grande rede supermercadista? Foi difícil?

Quando olhamos todos os passos que seguimos até aqui, as dificuldades que um dia enfrentamos se tornam pequenas diante de tudo que conquistamos. Em pouco mais de três décadas a pequena mercearia de 50m² na cidade de Balsas multiplicou de tamanho e localização. Hoje, estamos presentes no Maranhão, Pará e Piauí, onde atuamos com 22 lojas de varejo, 14 Mix atacarejo, 32 lojas de eletro e 4 CD’s (Centros de Distribuição). Nosso crescimento é resultado de planejamento, do trabalho e empenho de uma equipe de 20 mil colaboradores. 

A economia tem passado por momentos de tensões, o que tem afetado os negócios. Como o Grupo Mateus observa essa situação? Preocupação ou oportunidade?

A crise é um desafio para qualquer empreendedor. A instabilidade da economia pode adiar planos de investimento, intimidar quem não enxerga alternativas de manter ou expandir os negócios. Eu vejo as crises econômicas como oportunidades para adotar e consolidar novas práticas de mercado. É preciso ser flexível, inovar e investir, mais do que nunca, na fidelização de funcionários, clientes e fornecedores. 

Qual a importância do Maranhão para o Grupo Mateus?

Foi aqui que nascemos e amadurecemos para investir na expansão para outros estados. O Maranhão é base para os negócios do Grupo Mateus. Inclusive, já iniciamos aqui a construção de um novo Centro de Distribuição. Com 122 mil metros quadrados, o CD será dividido em uma área para linha seca (commodities) e outra para processados. Vamos triplicar a nossa indústria e a capacidade de produção de alimentos, consolidando, assim, a nossa logística e a eficiência no abastecimento das lojas. 

Como está o movimento de vendas para o setor supermercadista, tendo em vista que o consumo se retraiu?

A tendência é que o cliente adote o consumo de marcas mais baratas; que selecione os dias de compra para aproveitar as promoções. Temos que estar sempre atentos às mudanças do perfil de consumo para oferecer variedade, novos produtos e preços atraentes. Essa sensibilidade e estratégia tem nos rendido bons resultados e um crescimento nas vendas, mesmo nesta época de crise. A expectativa de faturamento em 2017 é de R$ 8 bilhões. 

Qual a expectativa de vendas para este ano e para 2018?

Projetamos encerrar o ano com uma variação de cerca de 30% em relação a 2016, quando faturamos R$ 6,2 bilhões. Com os investimentos em e-commerce e, a partir do funcionamento do novo  Centro de Distribuição, acreditamos que vamos dar um salto em 2018, gerando também empregos. Devemos contratar mais 2.000 colaboradores para o CD.

Percebe-se que mesmo com esse momento de crise, o Grupo Mateus continuou investindo. Qual o segredo?

Sim, continuamos investindo em estrutura com o apoio de bancos e investidores que confiam na solidez do Grupo e nos entregam as lojas já prontas. Assumimos a operação, que é a nossa grande expertise. A expansão do Grupo também exige uma preocupação constante com recrutamento e capacitação de colaboradores. Só este ano, já aplicamos mais de meio milhão em treinamentos e formação dos funcionários, que são estimulados a crescer junto conosco, galgando novas funções dentro das nossas empresas. Isto não é um segredo, mas uma iniciativa fundamental para a sustentação e crescimento do negócio, especialmente, em tempos de economia instável. 

Que investimentos estão sendo realizados este ano, em qual estado e o montante?

Devemos concluir os primeiros 40 mil metros quadrados do novo CD ainda este ano. O investimento total será de R$ 200 milhões. Até o início de 2018, abriremos nossa primeira loja em Pedreiras. Também faz parte dos nossos planos de expansão, construir outras duas novas lojas no Maranhão, em Chapadinha e Bacabal. No Pará, já temos sete supermercados e já estudamos a abertura de mais unidades. 

Agora, o supermercado é considerado atividade essencial, com possibilidade de se estender o atendimento até a meia-noite. O Grupo Mateus já planeja funcionar até mais tarde? 

Essa mudança coloca o Maranhão no mesmo patamar dos grandes centros do Sul e Sudeste, que já oferecem aos consumidores funcionamento em dias e horários mais flexíveis para o cliente. O decreto atende aos novos hábitos de consumo e rotina dos consumidores. Internamente, estamos estudando a melhor forma de adequacão para oferecer aos nossos clientes produtos e serviços de forma prática e cômoda. Em breve, anunciaremos quais lojas funcionarão em horários estendidos.

Agora, o supermercado é considerado atividade essencial, com possibilidade de se estender o atendimento até a meia-noite. O Grupo Mateus já planeja funcionar até mais tarde? 

Essa mudança coloca o Maranhão no mesmo patamar dos grandes centros do Sul e Sudeste, que já oferecem aos consumidores funcionamento em dias e horários mais flexíveis para o cliente. O decreto atende aos novos hábitos de consumo e rotina dos consumidores. Internamente, estamos estudando a melhor forma de adequacão para oferecer aos nossos clientes produtos e serviços de forma prática e cômoda. Mas iniciaremos o funcionamento ampliado até a meia-noite, ainda este semestre, com a loja Hiper Mateus do Renascença.

 

 

Deixe um comentário