Advogada fala sobre desafios da profissão

Compartilhar

Durante entrevista em um programa de rádio, a advogada e pré-candidata à Presidência da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Maranhão, Sâmara Braúna, ao falar sobre qual legado gostaria de deixar à entidade, caso seja eleita, respondeu que almeja a “OAB/MA firme, prestigiada, respeitada e acima de tudo, com muita honestidade, ética e transparência”.

A entrevista foi concedida ao Programa Comando da Manhã, do comunicador Gilberto Lima, que vai ao ar todas as manhãs na Rádio Timbira. Ao ser questionada sobre o porquê ter entrado na disputa pela presidência da OAB, a advogada criminalista foi taxativa. “Não me sinto representada pela atual gestão. Tem sido omissa em assuntos relevantes tanto para a classe como para a sociedade. Então, resolvi partir para a luta, para fazer aquilo que eu esperava dessa gestão e que não veio”, enfatizou.

Para Sâmara Braúna, a Ordem tem relevância extraordinária na vida da sociedade e por isso, toda vez que a Seccional Maranhense se omite, ela se apequena. Da mesma forma, os advogados estão ressentidos com essa omissão que afeta principalmente a defesa das prerrogativas profissionais, violadas diariamente sem que haja qualquer ação ou reação por parte da gestão atual.

“A situação é tão grave que há um projeto de lei (já aprovado no Senado e que agora está na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara) para criminalizar a violação das prerrogativas. Hoje as dificuldades são tão grandes na defesa dessas prerrogativas, que nós precisamos de uma lei que criminalize essas condutas”, informou a advogada.

Gilberto Lima lembrou que é a primeira vez que uma mulher pode chegar ao comando da OAB no Maranhão. No Brasil, apenas a Seccional do estado de Alagoas, é presidida por uma advogada. Por sua vez, Sâmara Braúna ressaltou que a participação feminina ainda se faz por meio de cotas na Ordem, quando na verdade, a representatividade tem que ser algo maior, com a ocupação de cargos de poder.

A advogada declarou que não é objetivo seu fazer discurso feminista sobre a representatividade da mulher na Ordem e nem promover a exclusão masculina. Ainda que a mulher precise avançar mais em espaços e conquistas, é necessário que o faça com a participação dos advogados e com equidade de gêneros.

Sobre as propostas para presidir a OAB/MA, a pré-candidata informou que um possível plano de gestão ainda está em fase de construção, em conjunto com os colegas advogados. “Conheço bem as dificuldades da nossa profissão porque sou advogada militante. Mas entendo que, às vezes, os meus anseios, não são iguais aos dos demais profissionais. Por esta razão, venho conversando com a classe, fazendo reuniões e discutindo aspectos relevantes para todos os advogados, de maneira ampla e democrática”, afirmou.

Dentre os temas que tem levantado junto à classe, Sâmara Braúna relaciona a inclusão de jovens advogados e mulheres advogadas na gestão da OAB Maranhão, preocupações com interiorização das ações da Ordem (acompanhamento da produtividade do Poder Judiciário no interior e na capital). “O que não vai faltar é trabalho e propostas para a gente trabalhar”, destacou.

Deixe um comentário