Arraial da Praça Maria Aragão abre espaço para economia criativa e geração de renda para artesãos da capital

Compartilhar

Arraial da Praça Maria Aragão abre espaço para economia criativa e geração de renda para artesãos da capital
Além das atrações folclóricas, o Arraial da Praça Maria Aragão tem por tradição movimentar a economia criativa, principalmente a que envolve famílias de artesãs de São Luís que costumam levar para as barracas de artesanato peças únicas confeccionadas em diferentes materiais, todos elaborados pelas mãos de 40 profissionais maranhenses distribuídos ao longo da praça em 20 barracas montadas na estrutura decorativa do arraial que é promovido pela Prefeitura de São Luís e Governo do Estado. A iniciativa fortalece as ações da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior voltadas para a geração de emprego e renda de pequenos comerciantes. No primeiro dia de programação do Arraial cerca de 50 mil pessoas participaram do evento, aproveitaram as brincadeiras, show, as comidas tipicas e adquiriram produtos.

Nas barracas é possível encontrar peças bordadas em crochê, com penas coloridas, boizinhos em camurça, chapéus de fitas, tiaras, camisas estilizadas, bonecas de pano, figuras em gesso, pulseiras, colares e laços com “bico-de-pato”, canecas e azulejos com motivos juninos ou imagens da capital São Luís. Os artesãos participantes da feira de artesanato da Maria Aragão também expõem suas peças em outros programas e eventos desenvolvidos pela gestão do prefeito Edivaldo, como a Feirinha São Luís e o Todos Por São Luís. É nesses locais que, além de comercializar seus produtos, eles podem fazer contatos e receber encomendas que auxiliam na renda financeira.

Muitos sustentam famílias com a produção artesanal. Além de passar o ofício de pai para filho ou de mãe para filha, eles mantêm o ofício ao longo do tempo e ajudam a garantir recursos financeiros para os membros diretos de grupos familiares. O prefeito Edivaldo tem políticas incentivando o empreendedorismo através do artesanato que, também, ajuda a valorizar toda uma tradição artesã de São Luís.

Segundo Ariovaldo Martins, coordenador executivo do Programa Todos por São Luís, sempre que há eventos que vão envolver exposições do artesanato de São Luís, o cadastro é utilizado para selecionar quem participa. “Além da Praça Maria Aragão, muitos deles estão trabalhando nos demais arraias apoiados pela Prefeitura”, contou.

Para abrigar os 40 artesãos da feira de artesanato da Maria Aragão foi feito um calendário, onde uma primeira turma formada por 20 pessoas ficará do início do arraial, aberto nesta quarta-feira (19), até o dia 30, encerramento da programação do São João.

A artesã Maryellem Coelho Cantanhede, que também é arte educadora, é uma das artesãs que participa da feira de artesanato na Maria Aragão. Ela trabalha há sete anos com bolsas, chapéus e bonecas customizadas. “As peças são produzidas por mim e por uma comadre. Os clientes chegam pedindo um produto e às vezes retornam porque gostaram tanto da peça como do atendimento”, declara.

Por sua vez, a artesã Rosane Meirelles Lopes aprendeu o ofício com a avó. Mesmo tendo sido funcionária pública federal, ela diz que o artesanato é uma ocupação prazerosa e rentável. “O que aprendi com minha avó, aprimorei fazendo cursos aqui em São Luís e fora do estado. Agora, além de vender minhas peças de azulejos com madeiras dou oficinas sobre empreendedorismo utilizando minha experiência de vida”, relata a ex-servidora.

A professora Hildenê Maia, do município de Tutoia esteve em uma das barracas de artesanato da Maria Aragão e aprovou a qualidade das peças expostas. “Achei os produtos diversificados e bem atrativos, os artesãos e artesãs de São Luís estão de parabéns, pois vale muita a pena conhecer o trabalho que eles desenvolvem por meio da peça que adquirimos”, ressaltou.

Deixe um comentário