Oferta de cursos profissionalizantes marca primeira ação do IEMA no Cintra

Compartilhar

Os investimentos em reformas, construções e ampliações de prédios, campi e laboratórios, além da criação da Universidade Estadual da Região Tocantina (UemaSul) ampliaram em 41% o número de vagas no ensino superior do Maranhão. Entre 2014 e 2018, o incremento foi de 1.435 vagas nas universidades estaduais públicas do estado.

A abertura prevista de novos campi da UemaSul e da Uema (Universidade Estadual do Maranhão) vai manter a expansão do ensino superior.

Além dos investimentos em infraestrutura, que ultrapassaram os R$ 50 milhões, o governo também ampliou a política de fomento ao ensino, pesquisa e extensão e criou programas que levaram oportunidades aos estudantes, como o Cidadão do Mundo, o Cartão de Transporte Universitário e outros.

Atualmente, Uema e UemaSul oferecem 4.900 vagas todos os anos nos vestibulares, número que será incrementando a partir do ano que vem.

UemaSul

Até 2015, a Universidade Estadual do Maranhão era a única instituição pública estadual de ensino superior. Atendendo a uma reivindicação antiga de professores e estudantes, o Governo do Estado criou a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UemaSul).

Iniciando pelos campi de Açailândia e Imperatriz, atualmente mais de 2.200 estudantes são atendidos pela Universidade, que já no próximo ano terá também o Campus de Estreito em pleno funcionamento. Outra novidade prevista para instituição é o curso de Medicina, que será oferecido em Imperatriz.

O Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (PAES) 2020, que acontecerá ainda em 2019, já vai ofertar vagas para os cursos ministrados no campus de Estreito. Entre esses, estão previstas as graduações em Letras Português, Engenharia Agronômica e Ciências Naturais com habilitação em Física e Matemática.

Uema

Na Uema, as reformas e melhorias alcançam vários campi. Em São Luís, no campus Paulo VI, algumas obras como o pórtico de entrada, o Laboratório de Multiusuários da Pós-Graduação-LAMP e os investimentos em laboratórios de informática, paisagismo e recapeamento asfáltico têm garantido melhor infraestrutura aos estudantes.

Para 2019, há previsão de entregas de outras importantes obras como o novo Campus de São Bento; a construção do prédio dos cursos da Matemática e Física e do prédio do Curso de Ciência da Computação, além do Anexo ao Centro de Ciências Sociais Aplicadas em São Luís; e a construção do auditório de Santa Inês.

E há outros planos para expansão até 2022. Entre eles, a construção do prédio para o Curso da Engenharia de Pesca, do Centro de Convenções da Uema em São Luís e as construções dos novos Campi de Grajaú, São João dos Patos, Presidente Dutra, Coelho Neto, além da reforma e ampliação do prédio do Itapecuru.

Pesquisa 

De 2015 a 2018, os investimentos acumulados em pesquisa no estado somam mais de R$ 190 milhões. No total, 4.500 bolsistas foram beneficiados e o maior crescimento foi no total de mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos, que triplicou.

Mais incentivos 

Para incentivar os estudantes que percorrem mais de 100 km (ida e volta) para ir à universidade, o Governo do Estado criou desde 2017 o Cartão de Transporte Universitário. Mais de 3 mil estudantes já foram beneficiados com o auxílio financeiro de R$ 800,00 para o transporte.

Deixe um comentário