Protesto de caminhoneiros causa desabastecimento na Ilha de São Luís

Compartilhar

Motoristas fazem filas em postos de combustíveis com medo do desabastecimento

A Região Metropolitana de São Luís já está sentindo as consequências do protesto de caminhoneiros por todo o país, que estão parados bloqueando rodovias, devido ao aumento do preço do óleo diesel. Como efeito, está havendo problemas de desabastecimento de combustível e de alimentos.

Desde a noite de quinta-feira, 24, motoristas fizeram enormes filas em postos de combustíveis com medo do desabastecimento. São Luís amanheceu a sexta-feira com a continuidade de filas nesses estabelecimentos, como também com alguns postos fechados, por falta de combustíveis para comercialização. Sem falar que os preços também subiram.

Outro efeito do protesto dos caminhoneiros é a o desabastecimento de produtos alimentícios, sobretudo de hortifrútis. A Associação Maranhense de Supermercados (Amasp) informou que alguns produtos podem faltar já neste fim de semana.

A Cooperativa de Hortifrútis do Maranhão (Ceasa), um dos maiores pontos de abastecimento da cidade, já sente o problema do desabastecimento e da elevação do preço de produtos. Com os caminhões bloqueados, frutas e verduras oriundas de outros estados não estão chegando à Ceasa, como também a mercados e feiras.

Também como consequência do desabastecimento de combustível, o Sindicato das Empresas de Transportes (SET) determinou a redução em 50% da frota de ônibus circulando hoje em São Luís, tendi em vista o nível de estoque reduzido de óleo diesel. Um problema a mais para quem depende de transporte coletivo.

E mesmo o Governo Federal tenha anunciado na noite de quinta-feira que houve um acordo com os caminhoneiros, os protestos continuam pelo quinto dia, com rodovias bloqueadas em 20 estados e no Distrito Federal.

 

Deixe um comentário