Governo apresenta carteira de mais de R$ 20 bilhões de investimentos no Maranhão privados ao BNB

Compartilhar

Durante reunião sobre a programação do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) 2020, o secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo, apresentou os mais de R$ 20 bilhões em investimentos privados prospectados pelo Governo do Estado, por meio da Seinc.

O aporte está ligado à política de atração de investimentos adotada pelo Executivo Estadual, que mantém o Maranhão com segurança política, jurídica e econômica, salários em dia, além de um diálogo franco e transparente, que resultou na prospecção dos investimentos.

Segundo o secretário Simplício Araújo, os investimentos contribuem com as políticas do Governo do Estado para a geração de emprego, renda, desenvolvimento e adensamento de cadeias produtivas, conforme determinação do governador Flávio Dino.

“Essa carteira de investimentos, indica que estamos no caminho certo. São investimentos que geram emprego, renda, desenvolvimento e ajudam na expansão de negócios aqui instalados. Com esse cenário, tenho certeza que o BNB que é nosso parceiro, poderá contribuir com o FNE”, explicou.

1. Secretário Simplício Araújo e o superintendente do BNB no Maranhão, Hailton Fortes, durante reunião do FNE (Fonte: Divulgação)

Os investimentos apresentados por Simplício Araújo estão ligados aos setores de tancagem, avicultura, carne, couro, energia, indústrias, dentre outros. Tudo isso atrelado aos trabalhos de adensamento de cadeias produtivas. Boa parte dos investimentos estão resultando em contrapartidas sociais realizadas por meio da Seinc, que já entregou ambulâncias, equipamentos, caminhão, casas de farinhas, dentre outras ações.

Sobre o FNE

Provido de recursos federais, o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) financia investimentos de longo prazo e, complementarmente, capital de giro ou custeio. Além dos setores agropecuário, industrial e agroindustrial, também são contemplados com financiamentos os setores de turismo, comércio, serviços, cultura e infraestrutura.

Deixe um comentário