Equatorial Energia vence leilão e terá concessão da Cepisa, no Piauí

Compartilhar

A Equatorial Energia venceu  quinta-feira, 26, o leilão que definiu a nova controladora da Cepisa, distribuidora de energia do Estado do Piauí. Com a aquisição, a Equatorial avança no setor de distribuição de energia elétrica, consolidando a sua posição nas regiões Norte e Nordeste do país, juntamente com a Cemar (Companhia Energética do Maranhão) e a Celpa (Centrais Elétricas do Pará).

 

 

A proposta da Equatorial Energia levou em conta a sua grande experiência em administrar áreas de concessão complexas e a sua capacidade de transformar empresas em situações precárias em referências no setor elétrico. Pesou na tomada de decisão as potenciais sinergias operacionais existentes pela proximidade geográfica de Teresina com a fronteira do Maranhão, a adoção das melhores práticas do grupo para obtenção de ganhos de eficiência operacional e melhora nos parâmetros de qualidade do serviço prestado.

 

O resultado para os consumidores do Piauí foi a eliminação do incremento tarifário possível pelas regras do leilão. A conclusão da operação está sujeita à aprovação da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e do Cade (Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência).

O grupo reconhece que os desafios serão muitos e aposta na expertise que vem acumulando ao longo dos anos com a Cemar e a Celpa – distribuidoras de energia consideradas exemplos em quesitos como melhoria da qualidade do fornecimento, recuperação financeira e sustentabilidade, além do reconhecido modelo de gestão: que valoriza as pessoas, a meritocracia por meio dos resultados, o desenvolvimento de lideranças e uma gestão focada em diretrizes bem definidas.

 

A Cepisa passará por um processo de transição que é natural neste cenário e as melhorias na qualidade do serviço prestado serão percebidas pelos consumidores ao longo dos próximos anos, sendo uma das principais metas da companhia o atendimento dos consumidores piauienses da forma que merecem.

 

O grupo Equatorial acredita que os investimentos e melhorias na qualidade do serviço prestado deverão ser catalisadores do desenvolvimento econômico e social do estado, possibilitando maior geração de emprego e renda à população.

 

Sobre a Equatorial Energia A Equatorial Energia é uma holding com atuação no setor elétrico brasileiro, nos segmentos de i) distribuição, através da CEMAR e da CELPA, ii) transmissão, tendo vencido 8 lotes que cobrem os estados do Pará, Piauí, Bahia e Minas Gerais e tendo 51% de participação na Intesa, iii) geração através da Termoelétrica Geramar, iv) comercialização através da Sol Energias, e v) serviços através da 55 Soluções.

 

No Maranhão, a Equatorial Energia controla a CEMAR (Companhia Energética do Maranhão), única concessionária de distribuição de energia elétrica no estado, que possui área de atuação de 332 mil km² – cerca de 3,9% do território brasileiro, sendo a 2ª maior distribuidora do Nordeste Equatorial Energia S/A www.equatoriaenergia.com.br do Brasil em termos de área de concessão.

 

A CEMAR possui 2,3 milhões de clientes, atendendo a cerca de 7 milhões de habitantes – ou 3,37% da população do Brasil. No Pará, a Equatorial Energia controla a CELPA (Centrais Elétricas do Pará) desde novembro de 2012, também única concessionária de distribuição de energia elétrica do estado, que possui área de atuação de 1.248 mil km², cerca de 14,7% do território brasileiro.

 

A CELPA possui 2,4 milhões de clientes, atendendo a cerca de 8,2 milhões de habitantes – ou 4,0% da população do Brasil. O segmento de transmissão de energia ainda é um segmento não operacional, cujos empreendimentos estão em fase de implementação. A Companhia arrematou um total de 8 projetos de construção e operação de linhas de transmissão e subestações em 2 leilões de novos empreendimentos organizados pela ANEEL.

 

 

O investimento total estimado pela ANEEL é de R$ 4,6 bilhões e a entrada em operação dos empreendimentos prevista no cronograma da ANEEL é para 2022. A RAP (Receita Anual Permitida) do total dos lotes arrematados pela Companhia soma R$ 907 milhões, em valores de junho de 2018.

Deixe um comentário